sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Verklärte Nacht


          “Noite transfigurada”, obra  de Schoenberg de  1899  além de sexteto de cordas, é
 também um poema sinfónico que segue fielmente o texto homônimo de Richard Dehmel
            O poema de Dehmel conta o momento de aflição em que um novo casal durante um passeio noturno pelo bosque, a mulher conta ao seu namorado que está grávida de outro homem. Mais ainda: essa gravidez é fruto de uma relação casual com um  desconhecido.  O homem aceita a situação e diz que a noite mágica, " a noite transfigurada" que vivem, irá fazer da criança seu próprio filho.
               Schoenberg estruturou o seu sexteto num fluxo contínuo de música, mas como a partitura acompanha verso por verso o poema de Dehmel, é fácil distinguir cinco divisões na obra: dos primeiros passos do casal no bosque, passando pelo momento da revelação e chegando ao perdão trazido pela noite “transfigurada”.

 Poema de Richard Dehmel
Duas pessoas caminham por um bosque calvo e frio
A lua os acompanha, e eles a inspecionam
A lua corre sobre os altos carvalhos
Nenhuma nuvezinha turva a luz celeste
à qual se estendem os galhos negros

Fala a voz de uma mulher:

"Carrego eu uma criança, e não é tua
Ando ao teu lado em pecado
Cometi contra mim algo grave
Não acreditava mais na felicidade
e desejava ardentemente
um conteúdo de vida, a felicidade materna
e seus deveres. Por insolência
Deixei possuir, tremendo, meu sexo
por um homem estranho
e ainda me abençoei por isso
E agora a vida se vingou
E agora  encontrei-te, a ti..."

Ela deambula com passos desorientados
Ela olha para cima, a lua acompanha
Seu olhar sombrio se afoga na luz.

A voz de um homem fala:

"A criança que concebeste,
que ela não seja um peso na tua alma,
vê, como o universo cintila tão claro!
Um brilho circunda tudo
Flutuas comigo  num mar gelado
Mas um calor próprio flui de ti para mim, e de mim para ti.

Ele transfigurará a criança alheia,
e tu a parirás para mim e de mim.
Trouxeste-me o brilho
Fizeste-me criança".

Ela o agarra pelos quadris fortes
Seus hálitos se beijam no ar.
Duas pessoas andam pela noite alta e clara





.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

29 de Dezembro, sexta feira




         Há 56 anos, tal como hoje,  o dia 29 de Dezembro  era sexta feira!
E também chovia!
Sendo a sexta feira um dia de azar e a chuva um prenúncio de felicidade, lá fomos misturando as duas coisas nas nossas vidas, de modo a atingir o equilíbrio de viver em saldo positivo.
Já todos perceberam que foi o dia do nosso casamento.
Mas a propósito disso há um episódio interessante!
Quando um dia precisamos de uma certidão de casamento, verificamos que a data registada era 30 e não 29; porque o funcionário, pessoa conhecida, teve receio que se registasse sexta feira, pudesse dar azar à menina. 
A menina era eu!...

29, Dezembro, 2017

C C


.


terça-feira, 26 de dezembro de 2017

No Natal de 2017



Ao colo da minha prima Helena que este Natal, mesmo na horinha da consoada ,resolveu deixar-nos!
Para sua memória   
                                                  



-


sexta-feira, 15 de dezembro de 2017




A propósito da "Dama com Arminho"
 
 Obra de Leonardo Da Vinci. 1492-Renasimento
 Óleo sobre madeira  54cm x 40cm   Museu Czartoryski, Cracóvia, Polônia 


                 O retrato foi pintado quando Cecilia Gallerani, a modelo da obra, era  amante de Ludovico Sforza, duque de Milão, e nessa época Leonardo estava ao serviço do Duque. Cecilia Gallerani teria 17 anos quando foi pintada;  não era rica nem nobre  mas  era famosa pela sua beleza e cultura; pintava  e era amante de poesia!
                O "arminho" tem merecido várias interpretações. A de pureza, pois 
  o animal prefere deixar-se capturar por caçadores, a refugiar-se  num covil sujo, para não manchar a sua pureza. Mas também Gallerani deu à luz um filho reconhecido por Lodovico  e na cultura do Renascimento italiano, havia uma associação entre doninhas e gravidez sendo possível que o animal seja um símbolo da gravidez de Cecilia e não da pureza. Por outro lado, Ludovico  tinha recebido a Ordem do Arminho em 1488 e  usava-a como um emblema pessoal.
              O que é certo é que, estudos recentes, revelam que inicialmente a pintura não apresentava o arminho.  Foi pintado posteriormente com um arranjo das roupas e outra colocação da mão;  noutra intervenção,  o arminho foi alterado e pintado de cor branca.
Leonardo dificilmente dava as obras por acabadas

 
*****

              A pintura foi adquirida na Itália pelo príncipe Adam Jerzy Czartoryski para oferecer a sua mãe, a Princesa Czartoryska .  No entanto, antes da invasão do exército russo em 1830, a Princesa escondeu-o, e em seguida  enviou-o para Dresden e daí para o lugar de exílio dos Czartoryski em Paris, o Hôtel Lambert. Foi devolvido a Cracóvia em 1882. Em 1939, após a ocupação alemã da Polônia,  foi apreendido pelas nazis e enviado para o Museu Kaiser Friedrich em Berlim. Em 1940, o nazi Hans Frank, governador-geral da Polónia, solicitou a sua devolução para  Cracóvia, para decorar o seu escritório.
Eram brutos, mas tinham bom gosto!
No final da Segunda Guerra Mundial, foi descoberto por tropas aliadas na casa de campo de Frank na Baviera. Então foi devolvido à Polônia, para o Museu Czartoryski em Cracóvia, onde pode ser visto  depois de um período de restauro.


!5 de Dezembro, 2017

CC



.



domingo, 12 de novembro de 2017

O outro Avô



Parabéns!

Hoje faria anos o outro Avô dos meus filhos. Recordo-o como uma pessoa íntegra, coerente e séria.  Aquilo que o 25 de Abril lhe deve, passou discreto e assim continuará. Era da sua forma de ser.
Recordarei  longas conversas, que se estendiam por noite dentro, na quinta de Cabeça.Boa. Mesmo agora, à distancia, personificam bem  a seriedade do seu carácter.
Com saudade.


.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Requiem pelo PSD

          Nunca simpatizei com o PPD depois PPD-PSD, nem com o seu lider fundador. Há coisas que se não sabem explicar, mas sempre achei que era daquelas pessoas  pouco simpáticas, que arranham  e não permitem aproximação.  
               Quando passávamos férias no Alvor, era costume, ao fim da tarde, vê-lo descer do hotel à praia com a sua companheira e em marcha acelerada, sem olhar para ninguém, partiam ao longo da praia.
Nunca lhe vi um sorriso, um bom dia ou simplesmente um olhar!
Na mesma altura e no mesmo lugar, Mário Soares e Maria Barroso falavam connosco, como de velhos amigos se tratasse!
              Mas era um homem inteligente e com qualidades inquestionáveis, tendo projectado o partido para o ápex da vida política nacional
Morreu tragicamente e também por isso, aglomerou à volta do seu nome uma multidão de pessoas que lhe ficaram fieis, mesmo sem grandes afinidades ideológicas. E assim tem permanecido, um partido de pessoas a quem lhes faltou cedo o pai, como que lançados à sorte, numa amálgama de ideias não sustentadas pelo saber, na maioria dos casos.
              O actual lider, Passos Coelho, é um bom exemplo disso. Depois da derrota que recentemente teve, de nada lhe servirão estratagemas sujos, ao estilo de pessoas cobardes, que se escondem no boato e na aldrabice! Ele não presta e o partido já cumpriu o seu destino. 
Cresça uma direita arejada e que saiba ser oposição. 
A esquerda precisa disso.
 cc

..

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Querido Pic_Nic




Falava-se nele como uma forma de reunir a família dispersa mas, sobretudo, para que a família se conhecesse.
Oriunda de dois ramos que se entrelaçaram, os Ferreiras e os Cancelas sempre se entenderam bem. A piada sob a forma de crítica brejeira era frequente e a gargalhada saía estrondosa. Os encontros, para lá dos ocasionais, eram  motivados por festas do ano: os Passos em Rates e a Páscoa em Arcos eram seguramente os mais marcantes!
Em tempos sem energia eléctrica nas aldeias, a música fazia-se: para dançar, para cantar em coro ou a solo, e recitava-se e contavam-se anedotas...............
Com o evoluir dos tempos a tecnologia foi alterando hábitos mas nunca a amizade!
E agora?
Com o desaparecimento de muitos e a "admissão" de outros, uns por anexação, outros por direito de nascimento, impunha-se saber quantos e quem somos.
Eis que surge a ideia do Pic-Nic!
A ideia repetia-se, mas, concretizá-la ?
Em que data? Em que sítio?
Eis que irrompe uma voz da actual 1ª geração que diz: o Pic-Nic é em Rates e no dia 2 de Setembro.
E o que parecia impossível, aconteceu!
E foram tantos que nem dava para acreditar!......Quatro gerações!
A felicidade de ver a mesma alegria e espírito de humor que caracterizavam os encontros desta família é a recompensa que aguardava!
Valeu a pena!




Grupo da 1ªgeração
foto de Paulo Ferreira da Silva



1ª-2ª-3ª geração
foto fe Paulo Ferreira da Silva


3ª geração
foto fe Paulo Ferreira da Silva

.
.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

26 de Junho



Seria hoje o dia de anos do António. Recordo-o com a minha irmã e com saudade dos dois








.


domingo, 28 de maio de 2017

Europa



À PROCURA DE UM ZEUS QUE NOS SALVE





Q rapto da Europa de Rubens
(cópia de Tiziano)



                Europa era uma linda princesa fenícia. Como ainda não chegara à idade de casar, vivia com 
os pais num magnífico palácio e tinha por hábito dar longos passeios com as amigas nos prados e nos
 bosques. Certo dia, quando apanhava flores junto da foz de um rio. foi avistada por Zeus que se
 debruçava lá do Olimpo observando os mortais. Fascinado com tanta formosura, decidiu raptá-la. Para 
evitar os ciumes da sua mulher, quis disfarçar-se. Nada mais fácil para quem tem poderes 
sobrenaturais! Tomou a forma de um touro. Um belo touro castanho com um círculo prateado a enfeitar 
a testa. Desceu então ao prado e deitou-se aos pés da Europa. Ela ficou encantada por ver ali um 
animal tão manso, de pelo sedoso e olhar meigo. Primeiro afagou-o, depois sentou-se-lhe no dorso e... 
o touro disparou de imediato a voar por cima do oceano. A pobre princesa ficou assustadíssima, mas 
não tardou a perceber que o raptor só podia ser um deus disfarçado, pois entre as ondas emergiam 
peixes, tritões e sereias a acenar-lhes. Até Posídon apareceu agitando o seu tridente.
Muito chorosa, Europa implorou que não a abandonasse num lugar ermo. Zeus consolou-a, mostrou-se 
carinhoso, prometeu levá-la para um sítio lindo que ele conhecia fora da Ásia. Prometeu e cumpriu. 
Instalaram-se na ilha de Creta e tiveram três filhos.

Poetas da Grécia Antiga passaram a chamar Europa aos territórios para lá da Grécia. E o historiador 
Hérodoto, no séc. V a.C foi o primeiro a chamar Europa a todo o continente.


.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

22 de Maio


Recordar a Mãe no dia dos anos
Como ela era em 1912, com 12 anos





e dedicar-lhe Chopin






.
.

terça-feira, 4 de abril de 2017

4 de Abril


Lembrar a minha irmã

Quando eu morrer voltarei para buscar
os instantes que não vivi junto do mar    

Sophia de Melo Breyner

 

  Para quem aprendeu a nadar no mar da Póvoa de Varzim, bem podemos dizer que, de todos os prazeres , o maior era o mar!

 

..

segunda-feira, 27 de março de 2017

Andar para trás



Num casamento em 1961



O casamento era da Cândida com o Alexandre

Os quatro da fotografia eram amigos muito chegados de um ou de outro e eu era dos dois.

Quanto à toilette estávamos tranquilas, mas os homens iam de fraque! Assim sendo, 

tínhamos de levar chapéu. Para a "Aidinha " tudo a Mãe resolvia e pespegou-lhe com 

aquela "toque" , na minha opinião  horrorosa, mas era "muito moda".

Para a Graça, sempre sorridente, o chapéu era da Josefina, colega que casou entretanto 

com outro colega, Mário Queiroz de quem eu era muito amiga. Só que no próprio dia, o 

chapéu  ainda estava em casa da dona, nem mais nem menos que  na  Arrifana. 

E quem o traria ou quem o iria buscar? E como seria o chapéu?

Na hora de o usar nada disto se sabia. Resolveu-se, já não me lembro como e o chapéu era

 uma elegante "capeline"que ficava muito bem, como se pode comprovar.

Eu tive a sorte de uma amiga  de Farmácia e de Lisboa, as entendidas que ditavam a 

moda no Lar,  ter um "cloche" à minha medida  e ao meu gosto. De cor azul turquesa, 

exactamente igual à de um desenho discreto do vestido.  Portanto ficava a matar!!!!!!
Do fraque do Barbedo nada sei!

Recordo com muita saudade a Graça, a Josefina e o Mário.

--

quarta-feira, 22 de março de 2017



Mussorgsky Pictures at an Exhibition Mikhail Pletnev



Viktor Hartmann, arquiteto e pintor, grande amigo de Mussorgsky, faleceu cedo, aos 39 anos de idade (1873) . Em março de 1874, fizeram uma exposição dos seus quadros numa galeria de São Petersburgo. Depois de a visitar, Mussorgsky escolheu dez dos quadros expostos e compôs uma música para cada um deles, numa homenagem ao amigo. . Uniu através de um tema comum (“Promenade”) as várias partes da peça.
Em suma, Quadros de uma Exposição descreve através da música, um passeio por uma exposição de quadros, tendo os temas como guia.
estou a ouvir.....






 ..

FEMININO


São as ninfas
são as musas
as mulheres com o seu riso
As Dríades e as Nereides
Crineias nas suas fontes
e as mulheres despertando
Dentro do próprio sumiço
São as deusas, as sereias
enfeitiçando o cantar
as mulheres tecendo as teias
Penélope Euterpe Eurídice
de meiga pele ambarina
as mulheres correndo em busca
Na sua pressa felina
São sibilas, amazonas
profetisas, feiticeiras
as mulheres querendo voar
Com os espíritos femininos
valquírias de espada honrosa
de mulheres ousando o risco
Com alegria nervosa
São sílfides com voz de vento
são as ondinas nadando
seguindo a rota dos rios
As salamandras ardendo
de si mesmas sequiosas
Morgana com os seus filtros
De invenção harmoniosa
São adivinhas da água
sufragistas, feministas
na haste do pensamento
Renascendo com vagares
à sombra da própria seda
na chama rubra da tenda
São as mulheres do meu tempo
Mudando a eternidade
e a vida em seu sustento
sem jamais cicatrizarem
Os séculos de esquecimento

Maria Teresa Horta
In «Poemas do Brasil», 2009, Editora Brasiliense, S. Paulo (livro inédito em Portugal).

..

Andar para trás


Suspensas nas nuvens

África do Sul nas montanhas da Cidade do Cabo. 1959


        Enquanto os mais afoitos se fizeram á montanha da Mesa de teleférico, preferi o deslumbramento da magnífica paisagem da encosta e  praia da Cidade do Cabo.


..

quinta-feira, 16 de março de 2017

Servir frio


e chorar por mais...


 

Passo a explicar:

6 figos descascados cortados ao meio;
3 fatias de presunto fino;
1 colher de pinhões;
1 limão em sumo onde se dissolveu uma colher de sopa de mel.
Trata-se de uma entrada. Servir frio (e chorar por mais)
Demora 1/4 de hora a fazer.
(pode ser melhorado com umas farripas de chèvre)

receita cedida amavelmente por

 Luís Novaes Tito


..

Fauvistas



Esta manhã ouvi falar de Fauvistas. Os artistas "feras". Cores puras, excessivas, provocantes!


 Maurice de Vlaminck



Andre Derain
 


Matisse
 
 Mulher com chapeú


..

domingo, 12 de março de 2017

Numa Folha, Leve e Livre







Quero dormir na água das palavras
que amam o silêncio
e a lentidão da luz
que é o fulgor de uma evidência indecifrável

Quero ser a concha do ingénuo sossego
de uma flor branca
como o monótono murmúrio
de uma respiração solar

Quero ser o ouvido de veludo
de um insecto azul
e quero beber a linfa do olvido
numa boca de argila
para sentir a monotonia ardente
da garganta da terra


 António Ramos Rosa, Numa Folha, Leve e Livre (2013)
Fotografia de Manuel João Ferreira Múrias

.